O espetáculo nasce com a seguinte pergunta: o que acontece com seres que moram desde sempre no mesmo lugar? O conceito foi baseado na ideia de território arquibancada, o que limita e tenciona os movimentos com um "fora", espaço e permanência. Este território foi " facetado e esculpido ", junto aos bailarinos, durante o processo de trabalho. O território, agora, um território poroso, vazado por corpos, luzes e sons.
 
 
Sinopse
Estar à espera de alguém ou alguma coisa. Viver no mesmo lugar com as mesmas pessoas. Como será viver em um lugar distante? Em um ambiente restrito, sem referências externas e com as mesmas pessoas? A partir de que referências elas vivem e se organizam? Como estabelecer limites, regras, direitos e deveres? Estabelecer uma sociedade paralela com regras e deveres próprios, é a meta de quatro homens aprisionados em um espaço delimitado por sua própria estrutura. Este ambiente restrito e desconhecido instaurará um clima de desejo, esperança, tensão e angustia, onde a espera constante será traduzida por seus movimentos e sensações. 
 
 
Ficha técnica
Espetáculo criado pela 
J. Gar.Cia de dança contemporânea. 
 
Direção: Jorge Garcia
Cenário: La Tintota, 
Iluminação: Andre Boll 
Figurino: João Pimenta
Fotografia: Leo Ceolin